quinta-feira, 14 de julho de 2011

Hollywood e a telefonia celular

Hedy como Dalila em “Sansão e Dalila”.
Hedy Lamarr (Viena, Áustria, 9/11/1913 — Altamonte Springs, EUA, 19/1/2000), atriz, ficou muito conhecida na Europa por ter aparecido nua em um filme em 1933, e seu papel responsável por seu sucesso em Hollywood, foi o de Dalila em “Sansão e Dalila”.

Depois de seu sucesso em Hollywood, recebeu um convite de Walt Disney para ser inspiração de “A branca de neve” em 1937. Lamarr casou seis vezes e teve três filhos. Foi casada com o austríaco fabricante de armas, Fritz Mandl em 1933 a 1937 e o acompanhou em diversos jantares com a ascendente elite nazista, o que lhe fez ter um conhecimento consideravel sobre a guerra e seus meios.

Porém o que mais impressiona na vida dessa grande atriz, foi uma invenção um tanto quanto usada hoje e que, com certeza, muita gente não acreditaria que veio da mente de uma atriz de Hollywood.

Em uma noite entendiada, Hedy Lamarr e seu amigo, o compositor George Antheil, brincavam de dueto no piano. Ela repetindo em outra escala as notas que ele tocava. O que à levou a pensar que duas pessoas podem conversar entre si mudando frequentemente o canal de comunicação simultaneamente. A partir de tal raciocínio, foi criado o celular.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Lamarr criou um sofisticado aparelho de interferência em rádio para despistar radares nazistas e o patenteou em 1940, usando o seu verdadeiro nome, Hedwig Eva Maria Kiesler. Porém, não foi aceito quando ofereceu a novidade ao Departamento de Guerra norte-americano.

Quando a patente expirou, a empresa Sylvania adaptou a invenção, que hoje é o equipamento que acelera as comunicações de satélite ao redor do mundo e foi usado para criar a telefonia celular.

Fonte: Wikipedia; Mary Diamond's Blog.

Postagens Relacionadas