segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Velório de loiras

Estava de passagem por uma capela moderníssima toda em cor de rosas, quando percebi que uma pessoa havia morrido.

Fiquei curioso para saber como eram os velórios naquela capelinha.

Ao chegar, vi milhões de bouquês de flores - das mais variadas das mais sofisticadas às mais kits - e notei que no caixão estava a morta inteiramente nua, loiríssima, e ao lado um grande pote cheio de creme muitíssimo perfumado, do qual cada uma das presentes - também loirézimas reluzentes - pegava um pouquinho e passava na defunta.

Surpreendido pela cena, coisa inusitada, aproximei-me de uma das mulheres e perguntei:

— Desculpe-me a ignorância, mas porque estão passando creme na defunta? É tradição aqui?

A moça respondeu:

— Não! É inédito! Nunca fizemos isso. Ela é que pediu para ser cremada!!  

----------------------------------------------------------------------

O sujeito morreu e, como convém a todo defunto que se preza, ele foi posto dentro do recipiente adequado: o caixão. O velório já ia começar, quando o agente funerário chamou a viúva assim pra um lado e falou que havia um problema. E o agente explicou meio sem jeito:

— É o instrumento do doutor. Não tem jeito dele ficar abaixado. A gente abaixa ele, bota as flores em cima, mas daí a pouco ele levanta outra vez. O que é que a gente faz?

A viúva pensou um pouco e disse:

— Corta e enfia nele.

— O quê? — espantou-se o agente funerário.

— É isso que o senhor ouviu: corta e enfia nele.

O agente tentou argumentar, que isso não se faz, pediu a ela outra solução, mas não teve acordo:

— Corta e enfia nele — disse a viúva com muita determinação.

E assim foi feito. Quando o caixão foi levado para a sala do velório, a viúva chegou bem perto do defunto marido e viu uma lágrima escorrendo do olho dele. Ela chegou bem juntinho do ouvido dele e sussurrou:

— Dói não, né?

--------------------------------------------------------------------

Uma loira estava preocupada pois achava que seu marido estava tendo um caso.

Um dia ela volta para casa mais cedo e encontra seu marido na cama com uma ruiva espetacular. Ela saca uma arma e aponta para a própria cabeça.

O marido pula da cama, e interrompe:

— Não querida, não faça isso...

Aos berros a loira responde:

— Calado, você é o próximo!


Fonte: Internet

Postagens Relacionadas