domingo, 20 de novembro de 2011

Careca, o craque mundial

Careca fez parte daquela linhagem de centroavantes técnicos que conjugavam o excelente domínio de bola com um estupendo faro de gol. Por isso, era considerado um dos mais habilidosos artilheiros do futebol brasileiro em todos os tempos. Sua sina de marcar gols se fez presente logo na estréia profissional, em 1978, quando, com apenas 17 anos, conquistou o Campeonato Brasileiro pelo Guarani, inclusive marcando o gol da vitória na decisão contra o Palmeiras. Passou pelo São Paulo, conquistando mais títulos, sendo artilheiro do Brasileiro de 1986, com 23 gols. Deixou o país e formou a dupla infernal com Maradona no Napoli da Itália. Jogou as Copas de 1986 (eleito o melhor centro-avante) e 1990.

Antonio de Oliveira Filho, mais conhecido como Careca, nasceu em Araraquara, SP, em 5 de outubro de 1960 e atualmente é comentarista esportivo da RedeTV. A razão do seu apelido é que ele era fã do palhaço Carequinha.

Começou sua história em sua cidade natal, no interior de São Paulo. Da geração de Lavinho, Carlos Henrique, Peligão, e tantos outros nomes de respeito no futebol amador de Araraquara, foi ganhando respeito por sua qualidade acima da média em fazer gols.

Logo chamou atenção dos grandes de São Paulo, e foi aí que iniciou sua carreira. O Guarani, de Campinas, em 1978, abriu as portas para o atacante. Foi campeão brasileiro no mesmo ano, tendo marcado o gol do título. Com sua velocidade e sua habilidade de finalização, rapidamente firmou-se como um dos melhores jovens artilheiros do país. Foi contratado pelo São Paulo em 1983 para substituir Serginho Chulapa, após ter se recuperado de uma contusão que o fez perder a Copa do Mundo de 1982, na Espanha.

Foi durante a Copa do Mundo de 1986, no México, que Careca realmente se estabeleceu no futebol mundial. Ele terminou o torneio, durante o qual o Brasil foi eliminado pela França nas quartas-de-final, com cinco gols, colocando-o em segundo no ranking da Chuteira de Ouro, atrás de Gary Lineker, da Inglaterra, com seis. Também durante 1986, Careca liderou o São Paulo na conquista do Brasileiro, batendo seu antigo clube, o Guarani, na final — e marcando o gol que levou a decisão para a disputa de penalidades. Com vinte e cinco gols, foi artilheiro e eleito o melhor jogador do campeonato.

Em 1987, depois de cento e noventa e um jogos e cento e quinze gols pelo São Paulo, foi contratado pelo então campeão italiano Napoli, onde foi companheiro de Maradona. O time já o cobiçava desde 1979, quando seu então treinador, o brasileiro Luís Vinícius de Menezes, disse estar entusiasmado pelo atacante, que ainda defendia o Guarani. Na primeira temporada no Napoli não teve sucesso, apesar de seus treze gols: o time foi batido na primeira fase da Copa dos Campeões pelo Real Madrid e perdeu o título italiano nos últimos jogos da temporada. Contudo, o ano seguinte foi muito melhor. O time ganhou a Copa da UEFA, com Careca fazendo um gol na final, e terminou em segundo na Série A do italiano.

Em 1990, finalmente Careca ganhou o scudetto com o Napoli, no que acabou por ser efetivamente a última temporada de Maradona com o clube (ele foi suspenso por quinze meses por ter sido pego em um exame antidoping). Careca ficaria ainda mais três anos com o Napoli, estabelecendo parceria com Gianfranco Zola, mas o Napoli não conseguiria ganhar mais nenhum troféu.

Em 1993 Careca deixou a Itália para jogar pelo Kashiwa Reysol, novo time japonês da J. League. Ficou quatro anos com o time e ajudou-o a subir à primeira divisão do campeonato em 1994. Depois se transferiu para o Santos, seu clube do coração, onde defendeu o clube em apenas nove jogos (com dois gols), no Campeonato Paulista de 1997.

Em 1999, o jogador transferiu-se para o São José de Porto Alegre, onde disputou algumas partidas no Campeonato Gaúcho

Em agosto de 2010 firmou contrato com a emissora brasileira de televisão RedeTV, para comentar partidas de futebol. Ao lado de Silvio Luiz, forma a dupla titular da emissora.

Títulos

Guarani - Campeonato Brasileiro: 1978; Campeonato Brasileiro Série B: 1981.

São Paulo - Campeonato Paulista: 1985, 1987; Campeonato Brasileiro: 1986

Napoli - Copa da UEFA: 1989; Campeonato Italiano: 1990; Supercopa Italiana: 1990

Artilharia

São Paulo Campeonato Paulista: 1985 - 23 gols (São Paulo); Campeonato Brasileiro: 1986 - 25 gols (São Paulo).

Fontes:Revista Placar; Wikipédia.

Postagens Relacionadas