terça-feira, 22 de novembro de 2011

Gato pingado

A expressão "gato pingado" é geralmente usada para designar pequena quantidade de pessoas. Seguidamente, inclusive, usa-se também para dizer que um pequeno público compareceu a um estádio para assistir a um jogo de futebol.

Segundo informa o professor Ari Riboldi no seu livro O Bode Expiatório, a expressão estaria vinculada a uma prática de tortura, no Japão, em que se derramava óleo fervente em criminosos ou animais, sendo os gatos as maiores vítimas. Poucas pessoas assistiam a macabra tortura, restando apenas os gatos pingados com óleo no local.

O cartunista Henfil até criou o Gato Pingado, simbolizando a torcida do América, sempre muito reduzida nos estádios.

Origens de outras expressões:

O pior cego é o que não quer ver - Em 1647, em Nimes, na França, na universidade local, o doutor Vicent de Paul D´Argent fez o primeiro transplante de córnea em um aldeão de nome Angel.

Foi um sucesso da medicina da época, menos para Angel, que assim que passou a enxergar ficou horrorizado com o mundo que via. Disse que o mundo que ele imaginava era muito melhor. Pediu ao cirurgião que arrancasse seus olhos. O caso foi acabar no tribunal de Paris e no Vaticano. Angel ganhou a causa e entrou para a história como o cego que não quis ver.

Anda à toa - Toa é a corda com que uma embarcação reboca a outra. Um navio à toa vai onde o navio que o reboca determinar.

Nhenhenhém - Nhee, em tupi, quer fizer falar. Quando os portugueses chegaram ao Brasil, não entendiam e ficavam a dizer “nhen-nhen-nhen”.

Fonte: Guia da Família e do Lar. Dez/09 e Jan/10.

Postagens Relacionadas