quinta-feira, 29 de março de 2012

Observações morais, satíricas ou irônicas

"O homem que se vende recebe sempre mais do que vale".

"Quem foi mordido de cobra até de minhoca tem medo".

"Sabendo levá-la, a vida é bem melhor do que a morte".

"As criança atingem aos sete anos a idade da razão. Depois disso, começam a praticar toda espécie de loucura, até o juízo final".

"É mais fácil sustentar dez filhos do que um vício".

"Diplomata é um homem inteligente que consegue convencer a senhora que, com um casaco de pele, pareceria muito mais gorda".

"A esperança é o pão sem manteiga dos desgraçados".

"Queres conhecer o Inácio, coloca-o num palácio".

"O mal alheio pesa como um cabelo".

"El vivo vive del sonzo y el sonzo, de su trabajo".

"Há Cadillacs de oitenta cavalos, sem contar com o proprietário".

"Aquele senhor era tão tímido que até tinha vergonha de proceder honestamente".

"Desgraça de jacaré são essas bolsas de couro".

"A primeira ação de despejo de que se tem memória foi a expulsão de Adão e Eva do Paraíso, fundamentada na falta de pagamento de aluguel e comportamento irregular".

"Esporte é tudo aquilo que fazemos para deixar de fazer justamente aquilo que deveríamos fazer".

"Os homens são sempre sinceros. O que acontece, porém, é que às vezes trocam de sinceridade".

"Quem é mais porco? O porco ou o homem que come o porco?"

"O médico militar é um doutor que examina rigorosamente o soldado para ver se ele está em perfeito estado de saúde para ir morrer no front".

"Adolescência é a idade em que o garoto se recusa a acreditar que um dia ficará cacete como o pai".

(Barão de Itararé)
___________________________________________________________________
Do livro "Máximas e Mínimas do Barão de Itararé", Editora Record - Rio de Janeiro, 1985, pág. 115.

Postagens Relacionadas