quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Júnior, o Discípulo dos Deuses


O mais digno herdeiro da camisa de Nílton Santos também amava atacar. Fez da lateral esquerda o caminho mais fácil para os gols. Ágil, toque de bola perfeito, especialista em cruzamentos e cobranças de falta, Júnior acabou, por força de toda sua categoria, passando ao meio-de-campo, com a camisa 10 que foi de Zico. No Flamengo, ganhou seus principais títulos: seis Campeonatos Cariocas, quatro Brasileiros, uma Libertadores e um Mundial (ambos em 1981). Já no meio-campo e jogando pelo Torino, foi escolhido o melhor jogador da temporada italiana de 1984/85.

Júnior (Leovegildo Lins da Gama Júnior), craque do futebol de campo e de areia e comentarista esportivo, nasceu em João Pessoa, PB, em 29 de junho de 1954. Como jogador era ambidestro e polivalente. A facilidade para jogar bem com as duas pernas o permitiu atuar como volante, lateral-direito e esquerdo, e meio-campista. Jogador de extrema técnica e rara habilidade, tinha grande visão de jogo, precisão nos passes, e era ótimo cobrador de faltas e escanteios (tendo feito inclusive alguns gols olímpicos).

Fez fama atuando pelo Flamengo, onde jogou 865 partidas, sendo o jogador que mais vezes vestiu a camisa rubro-negra. Em sua primeira passagem, ele ficou no clube até 1985, quando foi vendido para o Torino, da Itália. Nos anos em que jogou no Torino, clube italiano, Júnior impressionou o país com o seu grande futebol. Prova disso é a homenagem que recebeu no centenário do clube. Depois, ainda teve uma rápida passagem pelo Pescara, do mesmo país.

Em 1989, aos 35 anos e a pedido de seu filho, que nunca o vira jogar pelo Flamengo, Júnior voltou para comandar a equipe rubro-negra nas conquistas da Copa do Brasil de 90, o Campeonato Estadual de 91 e o Brasileirão de 92.

Em 1992, atuando como meia, liderou o Flamengo ao tetracampeonato, no Brasileirão daquele ano. Tal fato é considerado um feito, tendo em vista a idade avançada do então meia, com 38 anos. Neste último foi um autêntico maestro, pois de seus pés surgiriam as jogadas que surpreenderiam os rivais na reta final daquele campeonato. Fez, inclusive, um dos gols do 1o jogo da final. O "Vovô-Garoto", como ficou conhecido na segunda fase em que esteve no time rubro-negro, viveu muitos dias de glória no clube, fazendo 74 gols ao todo com a camisa rubro-negra.

Encerrou a carreira de jogador em 1993 e no mesmo ano assumiu a função de treinador do time substituindo Evaristo de Macedo e ficou no clube até 1994. Retornou ao clube em 1997 no lugar de Joel Santana. Foi ainda técnico do Corinthians em 2003, mas após 3 rodadas, entregou o cargo. Em 2004 assumiu a função de gerente de futebol do Flamengo ficando na função até o final daquele ano.

Sem muito sucesso como técnico/manager de futebol, em 2007 retornou como comentarista do canal SporTV e PFC. A partir de 2009, com a saída de Sérgio Noronha, foi transferido para a equipe de esportes da Rede Globo, sendo o comentarista titular dos jogos de times do Rio de Janeiro.

Pela Seleção Brasileira, Júnior jogou 88 partidas entre os anos de 1979 e 1992, registrando oito gols. Fez parte de um dos maiores times que o futebol já produziu: a Seleção Brasileira de 1982. Participou das Copas do Mundo de 1982 e de 1986.

Depois de sua aposentadoria dos campos, Júnior partiu para uma grande empreitada: a de alavancar o até então incipiente futebol de areia à condição de esporte reconhecido e sucesso de público. Participou das primeiras grandes conquistas da seleção brasileira de Beach Soccer, tendo depois a companhia de outros grandes craques do campo, como Zico e Cláudio Adão.

Júnior também fez sucesso fora dos gramados e areias como cantor. Em 1982, poucos meses antes da Copa do Mundo da Espanha, gravou o compacto com a música Povo Feliz, que ficou mais conhecida como "Voa Canarinho". A música virou a trilha sonora da Seleção Brasileira naquela Copa e o compacto vendeu mais de 800 mil cópias.

Atualmente, trabalha como comentarista esportivo da Rede Globo, substituindo Sérgio Noronha, que foi para a Rede Bandeirantes.

Títulos pelo Flamengo

Copa Intercontinental.svg Copa Européia/Sul-Americana 1981
Liberators Cup.svg Copa Libertadores da América 1981
Campeonato Brasileiro: 1980, 1982, 1983,1992
Copa do Brasil: 1990
Campeonato Carioca: 1974, 1978, 1979, 1979 (especial), 1981, 1991
Taça Guanabara: 1978, 1979, 1980, 1981, 1982
Taça Cidade do Rio de Janeiro: 1973,1978,1991,1993
Rio de Janeiro Taça Rio: 1978,1991
Rio de Janeiro Segundo Turno Campeonato Carioca: 1978
Espanha Torneio Cidade Palma de Mallorca: 1978
Espanha Troféu Ramón de Carranza: 1979,1980
Rio de Janeiro Taça Pedro Magalhães Corrêa: 1974
Goiás:Torneio de Goiás: 1975
São Paulo:Torneio de Jundiaí: 1975
Mato Grosso:Torneio de Mato Grosso: 1976
Brasil Taça Geraldo Cleofas Dias Alves: 1976
Rio de Janeiro Taça Luiz Aranha: 1979
Rio de Janeiro Taça Jorge Frias de Paula: 1979
Rio de Janeiro Taça Innocêncio Pereira Leal: 1979
Rio de Janeiro Taça Organizações Globo: 1979
Espanha Torneio das Astúrias: 1980
Rio de Janeiro Taça Sylvio Corrêa Pacheco:1981
Espanha Torneio de Algarve: 1980
Espanha Troféu Cidade de Santander: 1980
Itália Torneio de Nápoles: 1981
Uruguai Copa Punta del Este: 1981
Paraguai Brasil Taça Confraternização Brasil-Paraguai: 1982
Argentina Brasil Troféu Brasil-Argentina: 1982
Alemanha Copa Porto de Hamburgo: 1989
Estados Unidos Copa Marlboro: 1990
Japão Pepsi-Cup: 1990
Japão Copa Sharp: 1990
Minas Gerais Torneio Quadrangular de Varginha: 1990
Rio de Janeiro Torneio de Verão de Nova Frigurgo: 1990
Rio de Janeiro Copa Rio: 1991
Rio de Janeiro Taça Estado do Rio de Janeiro: 1991
Rio de Janeiro Campeonato da Capital: 1991,1993
Paraná Troféu Brahman de Campeões: 1992
Rio de Janeiro Troféu Eco-92: 1992
Argentina Taça Libertad: 1993
Rio de Janeiro Troféu Raul Plassman: 1993

Fontes: Revista Placar; Wikipédia.

Postagens Relacionadas