sábado, 15 de outubro de 2011

O Mata-mosquitos

Quando Oswaldo Cruz prometeu, em 1902, acabar com a febre amarela no Rio de Janeiro em três anos, o combate à doença era feito com o isolamento dos doentes e a queima de colchões, roupas e objetos por eles usados. Acreditava-se que o contágio se desse pelo contato direto.

Oswaldo Cruz mudou tudo: causando uma grande agitação, mandou acabar com os focos de mosquitos, para ele os verdadeiros transmissores da doença.

Foi uma gritaria geral: protestos, manifestações em praça pública, levantes militares contra o governo. Inquieto, o presidente Rodrigues Alves insinuou a Oswaldo Cruz:

— Para acalmar a situação, o senhor não poderia mandar queimar alguns colchões e pelas de roupa, enquanto mata os mosquitos?

O cientista foi claro:

— Se fizer isso, quanto o combate aos mosquitos acabar com a febre vão dizer que foi aquela medida que produziu resultados, e não esta.

Saiu do gabinete e ainda ouviu Rodrigues Alves comentar:

— É impossível que esse moço não tenha razão.

Ainda bem que pelo menos ele confiou: três anos depois não havia mais febre amarela no Rio de Janeiro.


Fonte: Seção Dito e Feito. In: Superinteressante. nº 5. São Paulo: Editora Abril, Fevereiro de 1988. p. 37.

Postagens Relacionadas