domingo, 4 de março de 2012

Riso: prazer ou incômodo?

O riso é um sinal de prazer ou de incômodo. A sensação provocada pela cócega geralmente é prazerosa, principalmente para as crianças, que a associam a uma brincadeira. Por isso, o mais comum é rir ao senti-las.

Mas, muitas vezes, trata-se de um riso sem controle, um reflexo disparado pelo cérebro em resposta a um estímulo externo. Regiões como axilas e sola dos pés têm mais sensores de tato e pressão, por isso são estimuladas mais facilmente.

Muitas vezes a risada pode também ser disparada pelo nervosismo do sujeito, que não acha tanta graça assim nas apalpadinhas. “Nesses casos o riso é curto e logo o indivíduo tenta se livrar”, diz o neurologista Saul Cypel, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Então, os risos se transformam em gritos ou mesmo numa reação mais violenta, como um tabefe no engraçadinho provocador. “Isso é mais comum em adultos, que já tiveram mais tempo de acumular experiências ruins, do que em crianças”, afirma Wanderley Cerqueira de Lima, neurocirurgião do Hospital Albert Einstein.

O estímulo faz um longo caminho antes de virar risada:

1. Quando alguém faz cócegas em regiões como as axilas, os sensores finos do tato e da pressão são excitados e mandam uma mensagem para o cérebro.

2. A informação chega ao chamado giro pós-central, que trabalha em conjunto com outras partes do cérebro para interpretá-la.

3. A área motora é acionada e manda uma mensagem para os músculos do rosto dispararem a risada. Seja por prazer, seja por nervosismo.

Fonte: Superinteressante.

Postagens Relacionadas